Brasil encerra dezembro com venda recorde de veículos

5 01 2011
ALBERTO ALERIGI JR. – REUTERS

As vendas de automóveis e comerciais leves no Brasil em dezembro bateram o recorde histórico de março de 2010, reforçando o bom momento do setor que tem apostado em aumento de capacidade produtiva para atender ao aumento de demanda.

Segundo fonte com acesso aos números, as vendas de automóveis e comerciais leves no país em dezembro somaram 361,3 mil unidades, uma expansão de 16 por cento sobre novembro e salto de 30 por cento sobre o mesmo mês de 2009. O desempenho ocorreu mesmo com o Banco Central tomando medidas no início do mês passado para enxugar liquidez da economia e conter a inflação.

“Houve um certo incentivo das empresas para desovar estoques e antecipação de compra devido às medidas do Banco Central”, afirmou o professor de economia Alcides Leite, da Trevisan Escola de Negócios.

Ele considerou o resultado do mês passado como “um pouco exagerado” em termos de capacidade das montadoras de atender ao mercado. “Vai ser necessária uma estabilização, pelo menos em 2011, para que as empresas possam adequar sua capacidade de oferta ao crescimento da demanda”, comentou.

Entre as medidas adotadas pelo BC está o aumento no nível de compulsório exigido dos bancos para financiamentos à pessoa física com prazos acima de 24 meses. Antes da decisão do BC, o prazo médio de financiamento de veículos estava em 42 meses.

“As concessionárias acabaram mantendo algumas das condições de financiamento no final de 2010, mas as medidas do BC começarão a fazer efeito agora”, disse Leite, que aposta em queda ou estabilidade das vendas no primeiro trimestre de 2011 sobre um ano antes.

Após dezembro, 2010 se consolida como ano com melhor desempenho da história da indústria automotiva no país, com vendas de 3,33 milhões de automóveis e comerciais leves no mercado interno, crescimento de 10,6 por cento sobre 2009. O volume anual confirma expectativa da indústria sobre o quarto recorde anual consecutivo nas vendas do setor.

Para 2011, a associação de montadoras de veículos Anfavea espera renovação do recorde visto em 2010, para 3,63 milhões de veículos –incluindo também caminhões e ônibus.

FIAT LIDERA, GM E FORD AVANÇAM

Embora a Fiat tenha mantido a liderança do setor em 2010, General Motors e Ford apresentaram os maiores crescimentos percentuais de vendas entre as quatro principais montadoras de veículos instaladas no Brasil.

A montadora italiana encerrou 2010 com vendas de 760.495 automóveis e comerciais leves no país, alta de 3,2 por cento sobre o volume vendido em 2009 e se aproximando do limite de sua capacidade produtiva atual de cerca de 800 mil unidades anualmente.

Diante do quadro, a Fiat anunciou no final de 2010 investimento de 3 bilhões de reais para construir sua segunda fábrica de automóveis no Brasil, com capacidade para 200 mil veículos por ano. A empresa espera ter vendas de 1 milhão de carros por ano no Brasil até 2014, em um momento em que a competição se acirra com a chegada de novas montadoras asiáticas ao mercado interno, como a chinesa Chery.

A Volkswagen comercializou 700.354 veículos em todo o ano passado, crescimento de 2,3 por cento sobre 2009, conforme os dados obtidos com a fonte. A General Motors registrou 657.700 emplacamentos, expansão de 10,4 por cento. A Ford fechou o ano com 336.281 unidades vendidas, alta de 10,6 por cento.

A associação que representa os concessionários de veículos, Fenabrave, apresentará dados de vendas em dezembro e de 2010 do setor na quarta-feira, dia 5. Já a Anfavea apresentará um balanço da indústria, também incluindo produção e exportações, na quinta-feira, dia 6.

Após recorde, vendas de carros devem cair 30%

Depois de registrar o melhor mês da história, com vendas de 381,6 mil veículos novos em dezembro, a indústria automobilística prevê para este mês uma queda de quase 30% nos negócios, para cerca de 270 mil unidades, segundo cálculos de executivos do setor. Eles ressaltam que em janeiro tradicionalmente ocorre desaceleração, mas muitas empresas preparam promoções para desova de estoques já neste fim de semana.

A General Motors, que em dezembro vendeu 71 mil automóveis e comerciais leves, lança no fim de semana ação especial para venda de modelos da linha 2010, mas não adianta detalhes. “Será uma grande liquidação para começar o ano bem”, limita-se a informar o gerente de marketing Hermann Mahnke.

Em todo o ano de 2010 foram vendidos 3,515 milhões de veículos, dos quais 3,33 milhões são automóveis e comerciais leves e o restante, caminhões e ônibus, de acordo com números preliminares de registros de licenciamentos. O resultado recorde é 11,9% maior do que o de 2009 e marca o sétimo ano seguido de crescimento de vendas de veículos novos no País.

Para 2011, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) projeta vendas de 3,6 milhões de veículos, mas, diante do resultado de dezembro, a previsão pode ser revista na quinta-feira, quando a entidade apresentará o balanço geral do setor, incluindo dados de produção e exportação.

O Brasil encerrou 2010 como quarto maior mercado mundial de veículos, posto alcançado pela primeira vez. Está atrás de China, Estados Unidos e Japão.

Já em produção, o País deve manter-se em sexto lugar no ranking mundial, com cerca de 3,6 milhões de veículos. A queda nas exportações, provocada pela perda de competitividade do produto brasileiro, é a principal responsável por esta posição. Recuperar mercados externos é uma das metas da Anfavea. Nos próximos meses a entidade apresentará à presidente Dilma Rousseff projeto para melhorar a competitividade da indústria local.

Liderança. A Fiat liderou o mercado nacional de automóveis e comerciais leves em 2010, com 760,4 mil unidades vendidas, 3,19% a mais do que no ano anterior. Desde 2001, quando assumiu a liderança no mercado brasileiro pela primeira vez, a montadora só perdeu o posto em 2004, para a General Motors.

Após esse feito, a GM voltou a ser a terceira no ranking e vendeu, no ano passado, 657,7 mil unidades, alta de 10,4% em relação a 2009. A Volkswagen foi a que teve menor crescimento entre as grandes fabricantes, de 1,9%, com 697,3 mil veículos, mantendo-se atrás da Fiat.

A Ford cresceu 10,6%, para 336,2 mil unidades. Em porcentual, as fabricantes que mais cresceram foram Hyundai (49,2%, com 71 mil unidades) e Renault (36,4%, com 160,3 mil). O menor crescimento foi o da Honda, de 0,45% (126,4 mil unidades).

Fonte: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110104/not_imp661683,0.php


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: