Meu chefe não sabe o que faz. Falo ou não falo?

16 11 2010

Uma situação é fato em qualquer organização: todo mundo tem um chefe a quem, bem ou mal, deve se reportar. Por mais alto que você esteja na hierarquia da empresa, sempre haverá alguém um degrau acima do seu.

Claro, com a convivência, é natural que surjam divergências de pontos de vista ou até mesmo comportamentais, para não dizer de temperamento. O que fazer, então, quando isso ocorre? Como discordar do chefe sem queimar o “filme”?

Ainda presencio cenas de profissionais aflitos e inconformados com as atitudes do chefe. Vejo colaboradores com ideias maravilhosas para implementar na empresa e que não conseguem colocá-las em prática, por simplesmente não saberem se expressar.

Infelizmente, observo que muitas empresas ainda vivenciam um paradigma antigo da liderança que dizia o seguinte: “Manda quem pode, obedece quem tem juízo”. Com essa cultura antiquada, muitos acreditam que o chefe é uma pessoa “inimiga” e discordar do que ele pensa seria uma espécie de afronta pessoal e, consequentemente, prejudicial para seu crescimento profissional.

Não há razão para ter medo de expor ideias e opiniões contrárias as do chefe. Ter diferentes pontos de vista é algo natural, e discordar não significa rompimento de relacionamento. Eu valorizo quando as pessoas que trabalham comigo discordam de minhas decisões, pois é a única maneira de rever os passos e corrigir antecipadamente possíveis erros.

Mas, como me comunicar de forma assertiva quando sei que meu chefe está fazendo algo errado? As dicas descritas abaixo são orientações para ajudá-lo a apresentar um comportamento mais assertivo – quer dizer, nem passivo e nem agressivo – a fim de efetivamente expressar seu ponto de vista em situações adversas com seu chefe:

a) Seja claro sobre o que quer dizer: Se perceber que seu chefe está decidindo por um caminho errado, expresse-se claramente, mas não agressivamente. Explique como você percebe a situação. Seja específico e certifique-se que a outra pessoa entendeu claramente sua posição. Prepare seus argumentos e, numa boa, sugira outras alternativas. Ao falar sobre vários cenários possíveis, você evita uma possível reação adversa do seu chefe.

b) Todo profissional deve ficar atento à sua postura corporal: Não passe uma impressão negativa ao chefe — que já está recebendo uma opinião contrária. É preciso estar atendo à forma como você está se comunicando, principalmente no tom de voz, que não pode passar agressividade, desdém ou falta de interesse.

c) Esteja aberto ao diálogo: Mesmo que já tenha percebido que você tem os meios para fazer melhor que seu chefe, se agir como um juiz diante de um acusado, o chefe certamente ficará na defensiva. Procure envolvê-lo durante a conversa, tanto para analisar o problema como para desenvolver possíveis soluções.

E, claro, esteja preparado para repensar a sua análise inicial do problema, afinal seu chefe pode ter chegado a uma nova solução, diferente da anterior e da sua!

Não estou dizendo que você deve dizer tudo o que pensa para seu chefe. Avalie se o que está te incomodando é baseado em fatos concretos, relacionado às atividades da empresa. Em caso positivo, e se souber os meios para fazer melhor, não hesite em falar sobre o que pensa.

Seu chefe não é seu inimigo e com certeza espera sua colaboração e comprometimento. Esta atitude vai acelerar seu próprio crescimento e, espero, ambos terão um relacionamento produtivo e gratificante.

Bom trabalho!

 

Daniela do Lago – Emprego Certo


Ações

Information

7 responses

18 11 2010
Rh Automotive

Nilton Cesar Pasquini
Gestão pela Qualidade Total – Linkedin

Uma técnica de Neurolisguistica…e funciona é nunca discordar diretamente, nunca usar palavra que expresse negativa, mas sim mostrar a sua opinião e citar alguma referência, ex de alguma empresa que ja utilizou mesmo não sendo de todo verdade.

18 11 2010
Rh Automotive

Eduardo Almeida
Executivos Brasil – Linkedin

É um fato do qual ninguém pode fugir, todos têm um chefe, todos mesmo.

Em relação á melhor forma de alguém se expressar e poder colocar suas ideias maravilhosas em prática, mas acima de tudo serem aceites, aconselho o seguinte, por experiência própria:

Se a sua ideia é mesmo boa e você acredita nela 100%, comesse por fazer um estudo sobre a mesma, seja mercado, logística, gerencial, o que for, assim que você tiver fatos concretos, apresente-os, não há chefe de uma grande empresa que não saiba reconhecer uma boa ideia, produto, pode até não dar um grande ênfase ali na hora, mas sabe reconhece-lo.

Estou. claramente, a relatar um cenário dentro de uma empresa bem estabelecida no mercado e/ou com Gestores/Diretores (sim com G e D) de gabarito.

Há contudo dois tipos de chefes (para que o seu trabalho seja reconhecido)

Aqueles que lutam pelo crescimento da empresa e profissional.
Aqueles que lutam por crescimento pessoal.

O primeiro tipo será o seu maior aliado.
O segundo tipo será concerteza o seu maior obstáculo, mas como se costuma dizer,contra fatos não há argumentos..

Para acabar, não esquecer, apresentar fatos, estatísticas, dedicação, etc.

Como costumo dizer, não conheço Diretores e/ou Gerentes que trabalham das 8:00 ás 17:00, e todas as pessoas que conheço que trabalham das 8:00 ás 17:00 não são Gerentes.

Abraço,

18 11 2010
Rh Automotive

Wagner Vendrame
Rh Automotive – Linkedin

Amigos do Link:
Gostei !! > o pior é que eu conheci um executivo com esse perfil…rs rs
Se o seu chefe não tem o expertise que deveria ter para direcionar ações eficazes “E” é neurótico ou pouco democrata, é melhor tentar sair debaixo dele na hierarquia. (ponto!)
Daria para entender que a teimosia do chefe poderia ser originária de uma estratégia (sou do tipo enxadrista e compreendo) que ele está aplicando e que ele não quer ou não deve mencionar. Neste caso ele poderia dar uma satisfação sobre a diretriz duvidosa acrescentando: “essa é a melhor saida embora não seja perfeita” > aí ficaria no ar quem entende mais ou não até o resultado das ações.
Por outro lado, se ele vai bater a cara lá na frente, tome cuidado ! pois ele vai jogar a culpa em alguém (Normalmente a culpa vai para a pessoa que disse que ele estava errado).
Dada a proximidade dele com a alta gerência que o escolheu e nunca vai admitir que escolheu errado, você poderá perder seu emprego ou ficar no freezer por uns tempos.
Ainda, se você falar sobre a inaptidão dele, vai ficar mal pois você é um subalterno e a Lei Áurea só valeu no passado. Se você não falar, ele vai argumentar que você deveria ter falado OU SEJA: situação dilemática e estressante a qual não somos pagos para vivenciar.
Eu reformularia a pergunta:
Você deve puxar o saco do seu chefe ? ou
Você trabalha para o chefe ou para a Organização ? ou
Adianta falar para um louco que ele é louco ? < essa para mim é a melhor !
Abraços,
Wagner

19 11 2010
Rh Automotive

Ricardo Pereira de Oliveira
Universidade Presbiteriana Mackenzie (4000+) – Linkedin

Jefferson:

Infelizmente, em várias áreas da administração existem pessoas com cargos de gestão, que não são exatamente competentes para liderar equipes. Ou que não são daquela área (e não entendem daquela área, pois não são especialistas nela. Por diversas vezes, tomam decisões nem sempre acertadas, e para demonstrar firmeza, não pedem opiniões. Como fazer?

Eu sempre faço o seguinte: 1-Demonstro comprometimento com a liderança (mesmo ela às vezes sendo chefia, não liderança). 2-Trato de tornar a vida do cara mais fácil (sempre que posso, e que sou solicitado, busco mostrar ao sujeito a maneira mais adequada de resolver tal e tal assunto, sem confronto; o negócio é mostrar maneiras de ajudar a resolver um determinado problema). 3-Procuro sempre apoiar, e prevenir o cara antes dele pisar na bola (e quando não for possível prevenir, buscar remediar, sem jogar na cara do sujeito que ele fez burrada).

19 11 2010
Rh Automotive

IGOR BOLORINO
Brazilian Engineering – Linkedin

Concordo com a matéria e com ultima frase apresentada, seu chefe não precisa saber de tudo o que você pensa; somente o que for interessante e relevante para ela saber.
Caso ele não siga, não entenda ou ignore; você deve avaliar seu crescimento na empresa, sob a ótica de permanecer ou não nela. Mas uma coisa é fato: existem chefes e lideres, há uma brutal diferença entre os dois gêneros.

19 11 2010
Rh Automotive

Marcelo Rodrigues
Novos Planos – Empregos e Vagas Vip – Linkedin

Olá Jefferson,
Interessantíssima esta discussão. De fato, vivemos este dilema diariamente.
Acho que o primeiro ponto é ter em mente o q é colocado no texto (chefe não é inimigo), e por mais complicado que seja um chefe, ele não é Deus (ou Diabo!) – mesmo que ele pense que seja.
O que temos que ter em mente é que, antes de mais nada é que estamos em um ambiente profissional, e que o objetivo de todos é alcançarmos os melhores resultados para a empresa.

Dito isto, acho que a forma como você deve abordar o chefe vai variar de acordo com sua relação com ele (ou da dele com o grupo). Se tiver uma relação profissional estreita, decerto a comunicação (ou, no caso, sua divergência) fluirá de uma maneira melhor. Se a relação for profissional e só, a abordagem tem que ser feita em um tom diferente, mas respeitosa. Certamente ele compreenderá.

O maior problema é quando o “chefe-deus” tem lá suas peculiaridades tirânicas. Com estes, os subordinados terão que saber a hora e forma certa de abordá-lo sem que se crie maiores problemas.
Tive um assim, tirano toda vida. Acabei descobrindo que a melhor forma de lidar era primeiro levar a ideia dele para uma análise. Toda vez que eu começava perguntando se podia dar uma de “Advogado do Diabo”, ele já se preparava. Descobri que ele, no fundo, gostava de ver sua ideia analisada, pelo prazer de ter tido uma ideia brilhante (coisa de ego). Mesmo que eu a derrubasse e ao final saíssemos com outra ideia, como o clima da discussão se tornava rico, ele acabava saindo satisfeito, afinal, queira ou não, acabávamos de passar por um momento super-produtivo.

O pior, independente do chefe, é entrar numa de criticar só por criticar, dizer que não é boa e não apresentar nenhuma contra-partida. Esse tipo de situação leva ao desgaste da relação à toa.

19 11 2010
Rh Automotive

Adriano Aguiar
Novos Planos – Empregos e Vagas Vip – Linkedin

Caro Jeferson, no meu caso eu verificaria que é a pessoa mais achegada ao chefe, fdaria uma oração pedindo instruções ao Espírito Santo de que maneira transmitir a esta pessoa o problema e se a resposta fosse que eu mesmo desse a notícia ou informasse, mediante a revelação do Espírito Santo, com toda cautela e na posse da palavra, me achegaria até ele e colocaria a situação mesmo que tendo de contar uma “parábola”, demonstrando aquilo que ele deveria estar instruindo-se ou mudando sua ótica de ver determinada situação. DEUS é sábio e peça essa sabedoria a Ele, que Ele lhe concederá o suficiente para resolver o impasse. Que DEUS o abençoe ricamente, a vocêe sua família, hoje e sempre, que a Paz e Graça de Nosso Sr. Jesus Cristo lhe acompanhe por todo sua vida, amém.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: