Faça um bom currículo e ganhe a atenção do selecionador

16 11 2010

O mercado está cheio de profissionais aflitos, decepcionados por não conseguirem sequer uma entrevista de emprego. No entanto, o que a maioria destes profissionais desconhece é que a seleção de currículos depende muito da forma como eles são apresentados.

Diante de uma gigantesca lista de e-mails ou pilha de currículos, não resta alternativa ao selecionador que não seja fazer uma primeira seleção rápida e superficial, o que não leva mais do que 40 segundos por currículo. Para ser selecionado nesta primeira leva é imprescindível que o currículo seja claro, traga informações pertinentes e esteja realmente adequado à vaga.

Muitos profissionais se candidatam para vagas que não têm nada a ver com seu perfil como se aquilo fosse uma loteria. Ou seja, não adianta candidatar-se a gerente de vendas se você tem experiência como auxiliar operacional. Outro problema comum é que as pessoas têm dificuldade para organizar informações, exagerando em explicações supérfluas e deixando de citar informações estratégicas. Confira algumas dicas para fazer um bom currículo:

1- Dados pessoais: Coloque seu nome destacado, informações dos dados pessoais, endereço, telefone fixo, celular e e-mail. O objetivo é que o selecionador possa te encontrar com facilidade.

2- Objetivo: Esta é uma parte fundamental em seu currículo. Tenho visto inúmeros currículos sem o objetivo informado. Importante que tenha seu objetivo claro, para qual vaga ou área deseja se candidatar, afinal esse é o primeiro item avaliado no currículo.

Imagine que o selecionador está organizando em locais diferentes os currículos para as vagas, onde ele colocará o seu, caso não tenha o objetivo destacado? Certamente vai direto para o lixo.

Alguns profissionais confidenciam para mim que não colocam o objetivo no currículo por simplesmente não saberem para onde ir, nem que área poderiam se destacar e esperam que o selecionador faça isso por eles. Infelizmente, essa possibilidade é quase nula nas empresas. A rotina da área de recrutamento e seleção é muito corrida e os selecionadores não dispõem de todo o tempo que precisariam para analisar com esta precisão os currículos que recebem.

Agora, pense bem, quem é a melhor pessoa para saber qual área deve trabalhar? Claro que é você! Para aqueles que estão pensando algo como “não sei aonde quero ir”, lembre-se: Para quem não sabe o que quer, qualquer coisa serve. Para quem não sabe aonde ir, qualquer caminho serve. Se você não sabe o que é melhor para você, ninguém saberá. Portanto, foco e objetivos claros são fundamentais.

3- Qualificações pessoais: Coloque tópicos sobre sua experiência adquirida. Sabe aquele conhecimento que só você tem e que independe da empresa em que trabalha? Nada de escrever detalhes demais das atividades que desempenhava nas antigas empresas. Eu, por exemplo, quando trabalhava em empresa era responsável por um programa bem complexo de treinamento, destinado aos vendedores de concessionárias. Ao invés de colocar no meu currículo os detalhes deste programa, descrevi que tinha “experiência em treinamento de vendas”. Simples, claro e objetivo. Disponibilidade para viagem vale aqui também.

4- Formação acadêmica: Sempre do último curso para o primeiro. Não esqueça o nome da instituição, nome do curso e ano de formação.

5- Experiência profissional: Recomendo que coloque da atual ou última empresa para a primeira em que trabalhou. Se já passou por muitas empresas, procure destacar as mais relevantes. Faça de uma forma sucinta, clara e objetiva. Lembre-se que o objetivo é que o selecionador agende uma entrevista contigo. No dia da entrevista você pode falar melhor sobre sua experiência profissional.

6- Cursos extracurriculares: Vale destacar os cursos que vão contribuir para a vaga ou área que está buscando. Entendo que aquele curso de culinária e aulas de surf foram inesquecíveis, mas de nada vão adiantar se estiver se candidatando para área financeira, por exemplo. Portanto, pense bem antes de colocar todos os cursos que fez, pode gerar confusão.

7- Idiomas: Só coloque que é fluente em algum idioma se realmente for. Sabemos que o papel aceita tudo, mas não se coloque em situação constrangedora.

8- Informações adicionais: Não é obrigatório ter esse item no currículo, mas vale acrescentar aquele trabalho social, hobby bacana e saudável que pratica.

9- Cuidado com suas comunidades nas redes sociais: É muito comum os selecionadores darem uma olhadinha nas comunidades daqueles que já foram pré-selecionados. Portanto, cuidado com suas comunidades no Orkut, comentários no Twitter e Facebook. Você pode ser eliminado antes mesmo de ter sido chamado para entrevista.

10- Agora é só organizar o currículo e enviar: Uma boa formatação e apresentação do currículo demonstram cuidado e dizem muito a seu respeito. Nem preciso falar da correção ortográfica: erros de português arranham sua credibilidade.

O melhor momento para procurar trabalho é quando não está precisando. Então, o que está esperando para enviar o seu currículo? Se for chamado para entrevista, poderá avaliar o que é melhor para você. Mas atenção, se enviar e não receber nenhuma resposta, veja bem, essa já é uma resposta de que algo está faltando em seu currículo

Agora sua “isca” está pronta, comece lançando para empresas selecionadas por você e, claro, lembre-se que para alcançar bons resultados deve ativar sua rede de contatos também. Boas entrevistas!

 

Daniela do Lago – Emprego Certo


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: