Rapidinhas do setor automotivo

30 09 2009

Sindipeças: pesquisa mostra recuperação do faturamento

Pesquisa conjuntural do Sindipeças junto a 93 associadas (que representam 42% do faturamento total do setor) indica que a receita de autopeças de janeiro a agosto, em reais deflacionados, foi 23,6% inferior ao de igual período de 2008. Segundo a entidade, lentamente os percentuais de queda diminuem, indicando recuperação. As vendas para montadoras representaram 72% do total; para exportação, 10%; para reposição, 13%. Os restantes 5% correspondem a trocas intersetoriais. O número de empregados em agosto foi 196,9 mil, superior aos 196,5 mil do mês anterior. Fonte: Sindipeças.

Mercedes-Benz contrata 800 e efetiva outros 510

Gero Herrmann, presidente da Mercedes-Benz, anunciou ontem (29) a contratação de 800 trabalhadores para atuar na produção de caminhões e ônibus na fábrica de São Bernardo do Campo, SP. A iniciativa, segundo o executivo, visa a atender a recuperação no mercado interno de veículos comerciais, com o reaquecimento da economia nos setores de agronegócios, construção civil e mineração, além da renovação de frotas de ônibus. Além das novas contratações, 350 funcionários temporários serão efetivados durante outubro e um grupo de 160 aprendizes passa a integrar o quadro de colaboradores da empresa. Em agosto a Mercedes comercializou 3.109 caminhões (com PBT acima de 3,5 t) no mercado interno, obtendo 32% de participação de mercado. No setor de ônibus, a marca ficou com 50% do mercado, emplacando 1.216 unidades. A fábrica de caminhões de São Bernardo do Campo é a maior da Mercedes-Benz fora da Alemanha. “Os veículos que fabricamos aqui têm a mesma qualidade do que é produzido na Europa”, assegura Herrmann. A planta brasileira é a única da Daimler Trucks (unidade de negócios da Daimler AG, maior fabricante de veículos comerciais do mundo) a produzir caminhões, chassis de ônibus e agregados num mesmo local. Desde 1956, quando iniciou as atividades em São Bernardo do Campo, a empresa já produziu mais de 1,2 milhão de caminhões e 540 mil ônibus.

Abemi: engenharia industrial não para de crescer

Um ano após o início da crise econômica o Brasil dá sinais de retomada do crescimento. Pelo menos é o que pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Engenharia Industrial entre as suas associadas, que ouviu empresas atuantes em projetos, construção, montagem e fabricantes. Segundo a enquete, o segmento está otimista em relação a 2010. Das empresas ouvidas 54,84% estão contratando pessoal e registram aumento no número de profissionais de nível superior em seus quadros de funcionários. Em relação à situação dos negócios, metade das empresas pesquisadas informaram crescimento, 23,34% estão estáveis e 26,66% já sofrem alguma retração. O indicador mais otimista foi a resposta sobre a possibilidade de crescimento no biênio 2009/2010: 77,42% das empresas consultadas responderam positivamente e acreditam que o período será de melhora nos negócios. Carlos Maurício de Paula Barros, presidente da Abemi, explica que o objetivo da pesquisa foi verificar como andam os negócios da engenharia industrial no Brasil. “O resultado mostrou coerência com certa paralisia nos segmentos industriais de mineração, siderurgia e papel e celulose e reflete a continuidade de investimentos brasileiros nas áreas de óleo e gás” – analisa. A Abemi reúne 120 associadas, que incluem algumas das maiores empresas de engenharia de projeto, construtoras, de montagem industrial e fabricantes de equipamentos do país.

GM trabalha em duas novas plataformas globais

Em entrevista ao Jornal do Comércio, o vice-presidente de manufatura da GM para a América do Sul, José Eugênio Pinheiro, disse que as características de uma plataforma global se ajustam ao DNA da unidade da montadora em Gravataí. A fábrica gaúcha da GM, inaugurada em 2000, é apontada como um modelo para a corporação. A unidade receberá R$ 2 bilhões até 2012, dos quais R$ 1,4 bilhão será destinado ao desenvolvimento do projeto Onix. Os demais R$ 600 milhões serão aplicados no Centro de Engenharia de Produto e Design, de São Caetano do Sul, para desenvolvimento de produtos e manufatura. Segundo Pinheiro, estudos para os novos modelos da planta gaúcha, que devem chegar ao mercado em 2012, também estão sendo feitos em outros centros da GM pelo mundo. O executivo disse também ao Jornal do Comércio que a montadora trabalha em mais duas plataformas globais, destinadas às unidades de São Caetano e São José dos Campos.

Fonte: Automotive Business

Equipe Rh Automotive


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: