Será que somente a idade implica em uma contratação?

22 09 2009

Tendo como base a repercurssão que o tópico Ética entre a idade e a experiência profissional… Isso existe? nos trouxe, fiquei pensando e refletindo sobre os inúmeros comentários, críticas e sugestões.

Com o reaquecimento que vem ocorrendo no mercado, é natural que as empresas tendem a ter um certo receio, 2 ou 3 pés atraz antes de estruturarem seus departamentos (pois a medida que o mercado cresce, a demanda aumenta e são necessários novos profissionais), se preocupando em não permitir que ocorra novamente este grande retrocesso.
Neste pensamento, podemos supor que os profissionais que estavam ativos antes da crise, talvez não sejam os mais capacitados a estarem novamente assumindo seus postos, pois a crise ocorreu em seus braços… Mas é claro que não foi pela sua gestão… esse problema ja vinha sendo alertado pela inteligência de mercado a muito tempo, muitos sabiam que com o volume do consumo em constante alta e elevação, uma hora a bomba iria explodir.

Um conhecido do Citi, me disse que há pelo menos 8 anos, eles sabiam que essa crise iria ocorrer e que as proporções seriam grandes, mas não conseguiam determinar quando e nem por quanto tempo. O motivo era o alto giro de capital tanto pelas empresas quanto pelas pessoas físicas. Em suas suposições, nunca imaginaram que seria tão forte como foi e atingiria niveís globais… Enfim, mas foi o que ocorreu.

Creio que neste período de novas recontratações, muitos diretores e gestores de áreas estão refletindo mais, sobre quais requisitos o profissional deve ter, para assumir a vaga e exercer suas atividades em prol do crescimento da empresa.

Será que este profissional tem que ser da geração que está com idade entre 20 e 30 anos, que estão se formando e trazendo uma cultura global advindo da internet e interatividade, ou o profissional certo, deva ter sua idade entre 30 e 40 anos, com uma dupla cultura, pré e pós web 2.0, mas sem muita facilidade e paciência para se adaptar a velocidade que as informações mudam e se transformam em realidade e trabalho? Ainda temos neste bolo, aqueles profissionais que ja passaram dos 40 anos de idade, onde muitos não entendem da web 2.0, ou sabem pouco sobre a mesma e preferem continuar com suas metodologias antigas, aquelas quais sempre utilizou e aprimorou e que deu certo.

Vejo que nenhum destes profissionais, divididos por faixa etária tem o pleno conhecimento que hoje um profissional que visa seu próprio crescimento e o da empresa em que está, tem.

Assim como existem as multiplataformas, a interatividade, a nuvem da web, as informações via satélite, que poucos entendem ou se quer sabem como funciona, tem que ser a vida dentro das empresas. Se as contratantes estão evitando quem passou dos 40 anos, o que será das organizações com profissionais mais novos e inexperientes mas com informações e uma cultura global advinda da internet?

Assim como a interatividade na internet gerou o grande boom da mesma, creio que o caminho deva ser este também para as organizações: Interatividade, conversa, troca de informações entre as faixas etárias. Com certeza um diretor e gerente, precisará dos conhecimentos de um coordenador e analista, pois ambos estão crescendo e se desenvolvendo em um mundo interativo, de rápido crescimento e divulgação de conhecimento, técnicas e métodos.

Neste processo há um grande problema: Dificilmente um diretor ou um gerente dará ouvidos a um analista, pois há um grande preconceito e bloqueio em se ouvir o que profissionais com um “menor nivel técnico” tem a dizer.

As empresas criaram um sistema de hierarquia vertical em suas bases, e a tendência é que esse sistema se torne horizontal, onde tudo é discutido, conversado, analisado e desenvolvido.

Esse é um pensamento meu, não sei o que exatamente meus amigos pensam a respeito deste assunto, mas com certeza os problemas referente a idade estão longe de apenas ser uma implicância com os Rh´s ou contratantes, e vai de uma cultura social e ética que foi estabelecida, e o mundo interativo que vivemos, esta mudando as estruturas e bases de tudo que conhecemos e pensamos…

O que vocês pensam sobre isto?

Equipe Rh Automotive

Anúncios

Ações

Information

9 responses

28 09 2009
Carlos Sousa

Infelizmente, vivemos em um sociedade preconceituosa em todos os aspectos, e isso vai levar alguns anos para ser resolvido. Vivi muito no exterior e trabalhei com muitos engenheiros desenvolvedores de software que tinham “cabelos brancos”, e não por isso deixavam de ter experiência e competência no que faziam. O Estigma de que uma pessoa com mais de 40 anos não possa ser treinado ou como vc colocou “.. sem muita facilidade e paciência para se adaptar.. ” está totalmente errado. Criou-se uma cultura de que NERD em informática é apenas o garoto(a) de “garagem”. Mas esqueceu-se que estes também continuam envelhecendo. Eu passei pela virada das Centrais Telefonica Eletromecânicas para Centrais Eletrônicas e nem por isso deixamos de treinar os mais velhos para se adaptarem aos produtos novos.
As informações e culturas de Internet estão ai para todos e na hora que saimos do técnico e vamos para o “face to face” com o cliente, quem prevalece, o técnico ou o experiente ?
Os melhores cirurgiões e Advogados são os mais idosos, porque ? Será porque o corpo humano não evoluiu ou os comportamentos não mudaram, logo estes profissionais ganham com o passar do tempo ?
A idade vai pegar todos, e temos que fazer como os paises mais desenvolvidos, e “mesclar” times, incluindo tantos os novos quanto os acima de 40anos. Ambos tem muito o que aprenderem um com os outros além de crescerem também junto com as estratégias voláteis das grande corporações que buscam sucesso e eficiencia dia após dia.
Logo antes de recusarem um bom profissional (pulem a idade) leiam os CV e indicações e deem a oportunidade para que todos se apresentem a uma entrevista seletiva.

29 09 2009
Osvaldo

Interessante a matéria. Tenho 57 anos e me aposentei a 5 meses atras após 4 anos de espera do processo. Desisti de procurar emprego e de lançar meu curriculo pelos diversos meios de comunicação. Sempre sou barrado na finalização quando descobrem minha idade. Realmente em nosso sistema de recrutamento existe um limite de idade para admissão com registro. As vezes sou consultado para um pequeno trabalho temporário em treinamento de grupos de novos colaboradores para integração. Mas sempre com periodos curtos e esporádicos. Continuo aguardando um sistema que vai valorizar efetivamente o “velho” experiente. Ainda há muito preconceito enraizado e tradicional (e velado). Saudações a todos os “idosos” profissionais.

29 09 2009
joel lopes trigo

Idade do Profissional – Não ficou muito clara a posição do assinante da matéria, mas o que é fato é que as empresas Headhunter, em geral, tem colocado para fora das discussões como parâmetro inicial a idade e faz algum sentido porque toda a vaga que tentei preencher chegava não raro a uma média de 70 (setenta) engenheiros por vaga, quem vai ler tanto CV. Isso para quem é mais velho lembra a famosa onda da REENGENHARIA que se porpagou pelo mundo cortando gente a torto e direito e no fim foi um fracasso. Acho que a mistura de pessoal mais novo e mais velho seria o ideal afinal o mundo real já é assim, mas no mundo corporativo já vi que vai ser como citei no caso da reengenharia, ou seja, vão pagar para ver e quem for mais velho, em geral, vai dançar até lá …

29 09 2009
Rh Automotive

Ola Joel,

O intuito deste post foi instigar a discussão e a reflexão de todos, sobre este tema. Pelo que vemos e presenciamos, a idade é um processo de retenção real em muitas empresas, mas escondido atraz de diversas normas e procedimentos.

Não temos como ter um posicionamento fixo, tendo em vista que trabalhamos para os dois lados da moeda. Como ética não deveria existir, mas como diz um velho amigo meu, a ética corporativa é diferente da ética pessoal.

Grande abraço.

Equipe Rh Automotive

30 09 2009
Carlos Sousa

Continuando meu texto acima e olhando para o lado corporativo, vemos que as empresas estão preocupadas em “empregados” e “produção”, ainda uma filosofia do “eu falo e vc faz”, logo experiência está muitas vezes descartada.
O estilo das empresas deveriam já ter passado do RH (Recursos humanos) para o tratamento do funcionário como um ativo de valor agregado, pois cada ano que passa o funcionário recebe mais e mais informações e treinamentos na area de atuação.

Enquanto os empreendedores tentam descobrir “um caminho do sucesso” e sobrevivencia, acabam pensam apenas no caixa “financeiro” e esquecem que investir nas pessoas acima de 40 (não uso termo idoso ou velho) é retorno e não prejuiso, pois são pessoas de potenciais e de mais “fidelidade” com a empresa.

Em muitos casos, não importando a idade, as pessoas desenvolvem o mesmo o mesmo trabalho com qualidade. A diferença é que uma pessoa em geral acima dos 30 anos tem familia e filhos em fase escolar, logo deveriam ganhar mais, afinal tem experiência para isso.

Uma coisa é certa, eu montei várias equipes de Pesquisa e Desenvolvimento em Software quando Gerente de empresas Multinacionais, e trabalhei em culturas culturas Canadense, Americanas e Francesas e posso lhe dizer uma coisa: A ULTIMA COISA QUE OLHAVAMOS NOS CV ERAM – SEXO, COR, IDADE. ” Todos sempre tiveram os mesmos valores enquanto se enquadravam aos requisitos técnicos para o trabalho.

Como mencionado acima, olhar 70 CV deve ser difícil, mas eu olhava 100 CV e muitas vezes ia a busca dos 200CV que o RH havia filtrado antes e encontrava bons profissionais lá. RH não deveria filtrar ninguem no quisito técnico ou outro discriminatório (SEXO-COR-IDADE-PÓS-MBA), afinal quem esta selecionando para o trabalho está ganhando para escolher o melhor para a empresa.

Como mencionado acima, as pessoas com mais de 40 anos estão se tornando consultores, o que não é ruim e acho que é o caminho, mas o certo seria criar um modelo para garantir que depois dos 40 as pessoas ainda tivessem a oportunidade de trabalhar. Afinal, quem quer pensar que a vida acaba aos 40 ?

1 10 2009
Edmilson Luiz Bueno

Atualmente participo de um grupo de pessoas (em busca de novas oportunidade e desafios = Desempregado) onde a média de idade é 45 anos, e onde todos estão sentindo na pele os preconceitos da idade.

Fala-se muito em ética coorporativa, porém o que encontramos no nosso dia a dia, são as descriminações ao vivo e a cores nas agências de recoloção, RH’s, Empresas em Geral, Head Hunters e até mesmos em sites. Temos exemplos práticos e reais, que pessoas com mais de 45 anos foram descartadas já no ato da entrega dos cv.

O fato de ter mais que 40 anos não poderia e não pode ser um limitante para a contratação, essa pessoas tem muito experiência, vivência e principalmente, estão mais jovem do que nunca, visto que a vida começa aos 40.

Diante deste fato, decidimos criar uma ONG com o intuito de auxiliar na recolocação dos profissionais, promovendo: assitência psicológica, orientações para elaboração do currículo e portifólio, comportamento em entrevistas, direcionamento dos CV’s para o alto escalão das empresas, apresentações em rodadas de negócios e outros.

O objetivo principal, é de ocupar o nosso tempo disponível e tentar produzir algo que fuja dos pradões atuais, proporcionando assim, mesmo que seja uma pequena abertura ou uma luz no final do tunel, para a recolocação desses profissionais.

3 10 2009
Sérgio Roberto Soares

Concordo com a matéria, estou com 51 anos e recentemente, fevereiro de 2009, fiquei desempregado e senti na pela a discriminção com relação a minha idade. Tenho vasta experiência na área da qualidade, onde fui Gerente da Qualiade por mais de 15 anos no ramo de autopeças e tive que submeter-me a um trabalho na área da produção por um salário menor só para não ficar desempregado e sobreviver.
Busco ainda oportunidade na área da qualiade e uma posição melhor, atualmente estou trabalhando como Supervisor de Produção mas quero voltar a trabalhar na qualidade.

3 10 2009
racionalidade

Louvaveis iniciativas e apenas faço um adendo, sem ação, fica-se no terreno instável da discussão.
Boicote é uma alternativa, tipo não comprar produtos ou serviços de empresas que não contratam pessoas acima de 40 anos.
Colocar um adesivo no vidro traseiro do carro, dizendo: querem meu dinheiro, mas negam trabalho. Ou: Não ao preconceito e discriminação por idade.
Denunciar sistematicamente as empresas que praticam essa discriminação as autoridades do governo.
Participar de blog por aqui para mandar notificações aos legisladores que vc elegeu.
Qual a sua iniciativa?
Comente!

5 10 2009
Rh Automotive

Gostei da frase “Querem meu dinheiro, mas negam trabalho.”
Qualquer retalhação, para realmente valer e ter alguma repercurssão, muitos terão que perder, mas quem estará disposto a isso?
Perder um emprego em prol de uma melhoria, é algo louvável, mas extremamente delicado, pois a pessoa que tomar a frente nesta iniciativa, provavelmente ficará “queimada” nas empresas que esta acusando, assim como nas demais que saberão do caso, e ai sim as oportunidades não aparecerão.

Creio que a melhor forma de chegar-se a um fim pacífico a esse problema, é ser bem franco em uma entrevista, checar se esta ponto esta realmente sendo considerado (quesito idade), e como fazer para provar que você como profissional, pode dar os resultados que a empresa espera.

Se a conversa não for com o gestor da área ou o recrutador, boicotes não sei se será a solução. Empresas de grande porte para serem afetadas, precisam de um gigantesco número de boicotadores…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: